Fale conosco: 11 3672.6398

O que você precisa saber sobre a água

O que você precisa saber sobre a água

Posted by on set 3, 2015 in Blog

Em um planeta onde ¾ da superfície é coberto de água, parece inacreditável que estamos prestes a enfrentar uma grande crise de abastecimento.

São quase 1,5 bilhão de km³ de água em todo o planeta contando oceanos, rios, lagos, lençóis subterrâneos e geleiras, mas apenas uma pequena parte, em torno de 3% desse volume é de água doce e serve para abastecer a população, só que a maior parte está concentrada nas geleiras.

Projeções feitas por cientistas indicam que em 2025, dois em cada três habitantes do mundo enfrentará problemas relacionados à escassez da água. E o fato marcante nisso tudo é que em escala mundial, nunca houve problema semelhante e tão grave!

Os primeiros alertas sobre o assunto foram feitos há 30 anos, pela ONU (Organização das Nações Unidas) e ninguém deu a menor importância.

Hoje, vamos falar sobre algumas características desse bem precioso, e também informações sobre a preservação da água no nosso planeta.

Composta por 2 partes de hidrogênio (H) e uma de oxigênio (O), é representada quimicamente pela formula H2O.

De acordo com os cientistas, sem água não existiria vida. No ser humano, ela representa cerca de 70% de seu peso e só por isso, já dá pra ter noção da importância da água no funcionamento dos organismos vivos.

Em 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou o dia 22 de março como o Dia Mundial da água. Esta data tem como principal objetivo a reflexão e discussão de soluções para frear a poluição, desperdício e escassez de água no mundo inteiro.

Nessa mesma época, a ONU redigiu um documento intitulado Declaração Universal dos Direitos da Água e em seus principais tópicos fala que:

A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: é rara e dispendiosa e pode escassear em qualquer região do mundo.

A utilização da água implica respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza.

O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade e precaução.

A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo a nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como a obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável pela água da Terra.

A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

A água é a seiva de nosso planeta. Ela é condição essencial de vida de todo vegetal, animal ou ser humano. Dela dependem a atmosfera, o clima, a vegetação e a agricultura.

O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

A gestão da água impõe um equilíbrio entre a sua proteção e as necessidades econômica, sanitária e social.

Mas que tipo de água podemos consumir? Qual a diferença entre água potável e água tratada?

A água é considerada potável quando pode ser consumida pelos seres humanos, mas infelizmente, a maior parte da água no mundo todo está contaminada e não pode ser ingerida diretamente.

Limpar e tratar a água é um processo caro e complexo, que elimina da água todas as impurezas e agentes contaminadores que possam causar algum risco para a saúde, tornando-a assim potável.

Em alguns países, e na verdade bem poucos países, as águas que saem das indústrias ou das residências, são tratadas antes de serem escoadas para os rios e mares. Essa água recebe o nome de depurada, mas não é própria para o consumo.

Um dos principais problemas que surgiram neste século é a crescente contaminação da água por todas as partes do planeta. Existem vários elementos contaminadores da água, dentre eles os orgânicos (adubos, restos de seres vivos, papel, excrementos, sabões), os biológicos (que provocam doenças como hepatite, cólera e gastroenterite) e os químicos (resíduos tóxicos como os pesticidas e metais pesados como chumbo e mercúrio).

Quando falamos em mares, a coisa piora e muito. O Mediterrâneo, o mar do Norte, o canal da Mancha e os mares do Japão são alguns dos mais contaminados do mundo e isso é preocupante por causa dos riscos ao ecossistema marinho.

Grandes desastres naturais com petróleo e cargueiros com resíduos tóxicos, além da contaminação dos rios e bacias mananciais são problemas que tem deixado as autoridades e organizações não governamentais de cabelos em pé!

A verdade é que o problema já começou. A falta d’água já afeta o Oriente Médio, China, Índia e o norte da África. Até 2050, as previsões são de dar medo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que 50 países enfrentarão crise no abastecimento de água.

Com esse panorama sombrio, um relatório do Banco Mundial de 1995 já anunciava que as guerras do próximo século serão motivadas pela disputa de água, e não mais por questões políticas ou pela disputa do petróleo.

Na história recente de nosso planeta, já tivemos um confronto que tinha como objetivo o controle da água. Isso ocorreu no Oriente Médio, em 1967. Nesse ano, árabes e Israelenses disputaram as águas do rio Jordão e seus afluentes.

Já no Brasil, quando o assunto é recursos hídricos, podemos nos considerar privilegiados. O território brasileiro detém 20% de toda a água doce superficial da Terra. A maior parte desse volume, cerca de 80%, está na Amazônia. São 6 milhões de quilômetros quadrados que formam a maior bacia fluvial do mundo e abrange o Brasil, a Bolívia, o Peru, o Equador e a Colômbia. A segunda maior bacia hidrográfica do mundo, a Platina, também está parcialmente em território brasileiro.

Economizar água não é um favor, não é só para economizar dinheiro, não é só para ter a consciência limpa. Usar a água adequadamente e conscientemente é um dever não só moral, mas também moral.

Passar para as gerações futuras, hábitos de consumo realistas e moderados é dever dos pais, dos avós, dos professores e de toda a comunidade. Se preocupar com as gerações futuras é questão de sobrevivência!

Abaixo algumas dicas pra você começar sua contribuição para a preservação da água.

  • Não demore muito tempo no chuveiro. Em média, um banho consome 70 litros de água em apenas 5 minutos, ou seja, 25.550 litros por ano.
  • Preste atenção ao consumo mensal da conta de água. Fique atento á vazamentos que podem ser um grande desperdício. Teste rápido: feche todas as torneiras e os registros do imóvel e verifique se o hidrômetro – aparelho que mede o consumo de água – sofre alguma alteração. Se alterar, o vazamento está comprovado.
  • Você pode economizar 16.425 litros de água por ano ao escovar os dentes, basta molhar a escova e depois fechar a torneira. Volte a abri-la somente para enxaguar a boca e a escova. Imagina o quanto seus filhos e netos podem economizar ao longo de suas vidas.
  • Prefira lavar o carro com balde em lugar da mangueira. O esguicho aberto gasta aproximadamente 600 litros de água. Se você usar balde, o consumo cairá para 60 litros.
  • Nada de lavar quintais e calçadas com esguicho; use a vassoura!
  • Reaproveite a água do enxágüe da lavadora para fazer a limpeza de quintais e calçadas.

Faça sua parte! Ensine seus filhos a usar bem nosso bem tão precioso!

Até mais!

Post a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *